Coisas do Coração

Mamãe, eu quero mamária!

Posted in Coração by adilson borges on 15 de maio de 2009

galeota do carnaval

Caderno de autoajuda:

1) Evite ficar sozinho sempre que estiver se preparando para ganhar duas pontes de safena e uma mamária.

 A última sessão da Galeota, antes da cirurgia foi a mais animada.  Ao leitor apressadinho explico logo: Galeota é o nome da reunião etílica, poética e musical que, vez em quando, faz a galera valente do jornal A TARDE  (Salvador, Bahia, Brasil) atravessar a passarela e ancorar, na Casa do Comércio, madrugada adentro. O manifesto da Galeota, que virou comunidade no Orkut há um ano (29 de maio de 2008), explica mais.  E melhor:

 “A Galeota é o prazer, depois do cansaço, a irreverência, o não-compromisso, o vinho, a cerveja, o sorriso, a besteira, a comida, o bolo falso, o violão e o beijo, o boné inesperado, o sorriso, a galhofa, a ironia, a noite que logo se exaure, a volta pra casa e a sensação do dever cumprido e de que vencemos a morte e a despedida, e celebramos renascimentos e encontros mais uma vez”.

 2) A verdade está no meio de tudo. Procure-a.

 Algum espírito-de-porco há de insinuar que o sumo da alegria do dia 18 de fevereiro seria o sentimento de despedida. Como em tudo há verdade, até na alma suína, por que não concordar? Quem sabe quando a hora é de “Adeus” ou de “Até logo”?  Ninguém. 

Por isso, é bom aproveitar. Só se vive uma vez.  Há, no entanto, quem discorde desta última afirmação. Para evitar que a porca torça o rabo aí, não se deve afirmar nada tão categoricamente.  Mas basta uma verdade: a festa foi legal,  foi boa, foi ótima!

3) Deus ajuda a quem madruga e não chora. Orvalho é mais doce que lágrima.  

Com fantasia, confete, serpentina, máscaras, apito, a Galeota virou baile do Carnaval. O aquecimento começou cedo, na tarde daquela quarta-feira. A cada hora, pintava o sinal, e a gente explodia em alegria, na redação. Apitava, gritava, Agitava. O tema, numa alusão às saudosas marchinhas, mas irreverente como sempre, foi dos mais comentados: “Mamãe, eu quero mamária”.

Fechado o jornal do patrão, saiu o cortejo espalhando fantasia pela Tancredo Neves quase deserta. Personagens não-identificados, Drácula, mulheres-gatos, Oxum, invadiram a Casa do Comércio. “Aviso que eu hoje eu vou chegar mais tarde”, liga o garçom para casa. “De novo?”, alguém diz do outro lado. “É tá todo mundo aqui. O negão com o violão, o viado, o rapaz alto que gosta de música brega, a moça que coça o cabelo e aperta os olhinhos, a outra de olhos discretos que só degusta vinho…”

3) Faça por merecer que o dia amanhece

Sem ponto e maiúsculas no lugar certo, e com vírgulas estranhas, a reportagem da festa pode ser conferida na comunidade da Galeota:  

foi uma beleza só a Galeota do Carnaval, na quarta, 18 de fevereiro A portabandeira não apareceu, e perdeu A gente, com máscara e fantasia, ou de careta, gozou, gozou Bira fez sua estreia e tocou violão, navarro cantou, gil a tudo fotografou, oxum baixou e a bela lilia bailou, bailou, marcia sambou sambou sambou bonito em três tempos, olhos-lindos sorriram, sorriram, drácula sentiu aperto no coração, mas não era dor, era emoção Felicidade que fizemos por merecer Todo mundo brilhou, brilhou
O dia amanheceu. Sem lágrimas nem orvalho”.

 

 

 

 

6 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Andreia said, on 17 de maio de 2009 at 09:56

    Adilson, seus mandamentos são perfeitos, vou aplicar todos, rsrsrsrs, inclusive tomar coragem pra atravessar a passarela e me juntar a galeota de boas-vindas!
    beijão

  2. adilson borges said, on 18 de maio de 2009 at 00:22

    oba, valeu a pena criar este caderno de autoajuda. Espero você na CC antes do verão.
    Beijáo, Andréia

  3. cristina said, on 18 de maio de 2009 at 12:12

    Oi Bonito!! Adoro isso! reuniao etilica – poetica e musical!!! com tudo isso voce vai melhorar pronto. Quando volte eu vou dar um presente: um bom vino argentino assim disfruta com teus afectos, mas agora encontrei um poema de Hamlet Lima Quintana, Gente:
    Hay gente que con solo decir una palabra
    Enciende la ilusión y los rosales;
    Que con solo sonreír entre los ojos
    Nos invita a viajar por otras zonas,
    Nos hace recorrer toda la magia.
    ….
    Hay gente que con solo abrir la boca
    Llega a todos los límites del alma,
    Alimenta una flor, inventa sueños,
    Hace cantar el vino en las tinajas
    ….
    Y uno se va de novio con la vida
    Pues sabe que a la vuelta de la esquina
    Hay gente que es así, tan necesaria.

    Muitos beijos,
    cristina

  4. adilson borges said, on 18 de maio de 2009 at 23:24

    Adorei Cristina. Obrigado pelo lindo poema, e nesta língua tão expressiva!

    Beijos

  5. ADELZUITA said, on 24 de maio de 2009 at 01:52

    SOBRE A TURMA DA GALEOTA: NÓS OS AMIGOS DO PEITO/SOMOS UM BANDO PERFEITO QUE VIVE A SE ASSALTAR/PROVANDO A MESMA CACHAÇA/TOMANDO AFETO NA RAÇA/TEMENDO A NOITE ACABAR. …….NOS AMAMOS COMO VÍCIO QUE NINGUÉM PODE CURAR/MAS QUANDO A GENTE SE ENCONTRA ATÉ DEUS SEM SE DAR CONTA SENTA COM A GENTE NO BAR.(WALTER QUEIROZ JR.)

  6. adilson borges said, on 25 de maio de 2009 at 00:12

    É isso aí. Waltinho Queiroz define muito bem o que queremos ser. beijo


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: