Coisas do Coração

O peso de uma jamantinha

Posted in Coração by adilson borges on 13 de abril de 2009

.

Quando se está vivo, a  jamanta vira uma dorzinha passageira

Quando se está vivo, a jamanta vira uma dorzinha passageira

 

–Quer saber a verdade? Acho que estou vivendo o momento mais feliz da minha vida! 

 Minha amiga, dessas a que se pode falar tudo, ficou, é claro, espantada. Mas calou-se respeitosamente  ao ouvir de mim esta frase em 27 de março, um dia depois de eu ter saído do hospital, onde fiquei 11 dias – após cair na faca em uma cirurgia que estabeleceu duas pontes de safena e uma mamária no meu assanhado peito, de 56 anos.

Como podia ser feliz alguém que não passava um dia sem chorar, com dores 24 horas? O ex-presidente João Baptista  Figueiredo (1979 /1985), por exemplo, criou um trauma ao dizer em relação aos seus sentimentos nos dias posteriores à ponte de safena: “Uma jamanta passou sobre o meu peito”.

 Exagero ou não, já que a dor é sentimento muito particular, podemos, a princípio, chegar a outros consensos:

é foda ser feliz quando não se dorme naturalmente  com medo do que não se viu, mas o corpo sentiu e espíritos-de-porco sopraram. Sopraram? Não, contaram tudo ou quase tudo, inclusive suas surpreendentes  reações no período (das oito e meia  da manhã às nove e meia da noite) em que você  ‘morreu’ para renascer, no dia 17.

é foda ser feliz quando só se dorme com remédio que lhe tira o tirocínio e o deixa loucão,  sem controle da mente e da bexiga, o que o obriga até a usar fralda geriátrica.

é foda ser feliz quando o dia amanhece e você, tartaruga emborcada, fica gemendo, barriga para cima, (ainda dizem que “viver de papo pro ar” é viver bem) à espera do efeito do Tilex, além de mãos caridosas e fortes, para enfrentar a dor e levantar.

é foda, mas é possível ou pura loucura, sobretudo, quando você sabe que esta dor é passageira, como aquela que termina no vaso. Sente-se, ademais, em ebulição, em pleno jorro criativo –  no meu caso, tenho um plus, a música.  Sente-se com força para amar.  E sabe, sobretudo, que você está curado e não terá limitações (às vezes, temos que confiar cegamente no médicos) e apartado da morte. Por enquanto.

 

Como quase todo mundo. 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

8 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Cibele said, on 13 de abril de 2009 at 15:22

    Adilson, querido: alguém com um coração igual ao seu é raro: ao mesmo tempo maduro e jovem; tão forte e tão sensível; pé no chão e sonhador..
    Agora, então, fortalecido e renovado,rodeado de chamego da companheira – pérola, regado a suquinhos de Tico-tesouro, , ninguém segura!!!!!!

    Beijo no coração,
    Da amiga Cibele

  2. adilson borges said, on 13 de abril de 2009 at 15:31

    Oi, Cibele. Que coisa boa é a sua presença aqui. Santo de casa começa a fazer milagre. Mas ainda falta sua amiga, Marília, acho que fica envergonhada de tanto que falo nela. beijo no coração

  3. Emiliano said, on 14 de abril de 2009 at 03:20

    estou sempre aqui.

    • adilson borges said, on 14 de abril de 2009 at 10:23

      Obrigado, meu filho, sempre perto, até quando eu estava no hospital com pijama de super-herói! beijo

  4. arlita santana said, on 14 de abril de 2009 at 22:08

    Comecei a ler e não consegui mais parar. Desconfio que vai virar um hábito. Desnecessário falar que você está cada vez melhor, mas isso eu já esperava, sou daqueles que sabem que você é uma bee

  5. adilson borges said, on 15 de abril de 2009 at 09:56

    Recebo você aqui de tapete vermelho, minha doce amiga. Com geléia e mel (passe o endereço para Hamilton). beijo

  6. Luiz Augusto dos Santos said, on 23 de abril de 2009 at 01:06

    Poxa, eu fiz um comentario de milhares de caracteres e parece que você não o recebeu. Tinha começado lembrando que meu sogro detestava médico. Para ele, médico é para mulher e criança.
    Resultado, quando procurou um já era tarde. Morreu há uns 30 anos. É preciso a gente acabar com este preconceito contra os médicos.
    Agora mesmo vou correndo ao cardiologista para nao ser surpreendido. Se morte é descanso, prefiro ficar cansado,como se diz por aí.
    Saúde amigo.
    Em 22.04.09
    LA

  7. adilson borges said, on 23 de abril de 2009 at 02:55

    Caro LA, seu primeiro comentário chegou e a ele respondi. Você enviou para o espaço do texto “O Dia da Alta”. Tá lá.
    obrigado, companheiro


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: