Coisas do Coração

O flamboyant psicodélico

Posted in Coração by adilson borges on 28 de abril de 2009

 

 imgp1940

O mais impressionante de um fenômeno é a possibilidade de repeti-lo. E eu conseguia.  A árvore linda, galhos verdes com folhas vermelhas, primeiro se transformava em pintura tipo expressionista de Van Gogh, depois começava a se balançar mais do que se pode creditar ao impulso do vento.

Vi este fenômeno várias vezes ao olhar para o condomínio que se escancara perante minha janela, nas manhãs do início do meu período pós-operatório. Mais do que vi, descobri que o podia reproduzir e o fiz. Ainda acho que o posso fazer, mas as condições, inclusive farmacológicas, se modificaram e não mais me interessa: entendi que se tratava de uma conjunção de fatores químicos, físicos e biológicos.

Não conseguia dormir sem remédios. Com o medicamento (omito o nome por causa dos viciados), o sonho vinha, mas sem boa qualidade. Então, eu acordava muito cedo, aturdido, meio ébrio e, como sempre, com dor no peito, certamente ocasionada pelo trauma cirúrgico ou por ser obrigado a deitar de papo para o ar. Ou as duas coisas.

Ainda deitado tomava um analgésico, esperava o efeito e alguém para me ajudar a levantar. Após o café da manha, com mais um comprimido para controlar a pressão, ia para o meu posto de observação da paisagem. Fazia os costumeiros exercícios de fisioterapia, com muita inspiração e respiração. Na hora certa, e eu sabia qual era, bastava olhar para a árvore psicodélica e o fenômeno se repetia, como o sol que nasce todos os dias, mesmo quando chove e não o vemos diretamente.

Recentemente, tive uma frustração, mas já tinha abandonado minha manhãs, digamos, de viagens lisérgicas: alguém me disse que não sabia o nome, mas aquela árvore decididamente não é um flamboyant!    

 

 

3 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Cassandra said, on 4 de maio de 2009 at 09:24

    Nâo é qualquer um que consegue transformar árvore em pintura de Van Gogh…🙂 E aí, como você vai? Beijos Cassandra

  2. adilson borges said, on 5 de maio de 2009 at 05:10

    Tranformar árvore em Van Gogh é barbada, Cassandra. Difícil é fazê-lo sem decepar a orelha. Que bom ouvir, ler uma mensagem sua. É a primeira, né?
    Tou legal. Hoje mesmo, fui ao médico e tirei, digamos, 9 na revisão do quesito pericardite, que estava me preocupando. Acho que com mais uma semana de corticoide estarei zerado . Comemoramos, eu e Marília, almoçando na Casa do Comércio (que originalidade) com uma taça de tinto para cada!
    E você como vai? Beijos


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: