Coisas do Coração

Jogo esporádico de futebol aumenta risco

Posted in Coração by adilson borges on 8 de maio de 2009

LUCIANA SOBRAL, DO DIÁRIO DE S.PAULO

Os jogadores esporádicos de futebol society, principalmente aqueles que já passaram dos 40 anos, têm agora mais um motivo para se preocupar, além de vencer a partida. De acordo com uma pesquisa realizada na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), os homens que jogam apenas uma vez por semana e não fazem nenhum outro exercício físico correm sérios riscos de desenvolver problemas cardíacos.
O estudo, apresentado pelo professor de educação física Roberto Constantino Carneiro, envolveu 32 homens, com idade média de 41 anos, estando a maioria com sobrepeso. “A pesquisa mostrou que em vez de trazer benefício, o jogo acaba prejudicando a saúde desses homens pelo fato de eles serem sedentários, ou seja, de praticarem exercícios físicos menos de três vezes por semana”, conta o pesquisador. Segundo o professor, em São Paulo há 350 quadras para o esporte, com cerca de 1 milhão de participantes.
O trabalho demonstrou que 75% dos jogadores avaliados apresentaram grandes chances de sofrer um infarto, enquanto 12,5% tiveram risco moderado. “Para chegar a essas conclusões, avaliei primeiramente a aptidão física de cada paciente, ou seja, sua capacidade máxima para o jogo. Depois, comparei os resultados com o estresse cardíaco durante a partida, que medi com a ajuda de um aparelho”, explica Carneiro.
Segundo o professor, o batimento cardíaco dos jogadores durante a partida ultrapassou o limite do recomendado. “O ideal seria 153,5 batimentos por minuto (bpm). A média dos jogadores avaliados foi de 155,7 bpm, mas teve gente que chegou ao pico de 211″, conta. “O jogo de futebol é uma atividade que exige muito do organismo. Por isso, o corpo precisa estar condicionado para suportar essa exigência”, completa Carneiro.
O fisiologista Turíbio Leite de Barros, coordenador do Centro de Medicina da Atividade Física e do Esporte da Unifesp, explica que, para estar condicionado, o indivíduo precisa praticar exercícios no mínimo três vezes por semana, aumentando a intensidade aos poucos. “Para reduzir os riscos do infarto, basta o jogador esporádico incluir pelo menos duas caminhadas rápidas de 40 minutos por semana”, recomenda.
De acordo com o médico, a prática inadequada não aumenta apenas os riscos de ocorrência do infarto, mas também de lesões musculares e articulares. “Isso acontece muito com jogadores obesos. A obesidade também é fator de risco para as doenças cardíacas”, conclui Barros.
Atividade intensa e pouco freqüente é arriscada – A prática de futebol society esporádica não é a única atividade perigosa para os sedentários. Segundo os especialistas, qualquer exercício intenso, realizado apenas uma vez por semana ou a cada 15 dias, coloca a saúde de quem não tem condicionamento físico adequado em risco.
“O organismo do sedentário muitas vezes não consegue tolerar uma atividade que exige muito dele, como é um jogo de futebol, de basquete ou uma corrida longa”, explica o professor de educação física Roberto Carneiro. Segundo o especialista, o coração pode não estar preparado para agüentar o esforço do praticante durante o exercício. “Se ele for obeso, diabético ou já tiver problemas coronários, como hipertensão, essa capacidade é ainda menor”, completa.
O fisiologista Turíbio Leite de Barros garante que fazer caminhadas ou corridas aceleradas durante a semana pode tornar o jogo de futebol esporádico uma atividade benéfica para o corpo. “Em oito a dez semanas, o jogador já vai ter os benefícios, entre eles, menor risco de infarto, melhor condicionamento físico, nível de colesterol adequado e pressão arterial controlada”, afirma.
Até sofrer sua primeira crise de hipertensão, o corretor Ridney Zaidan, de 46 anos, fazia parte do grupo de sedentários que jogava futebol society apenas uma vez por semana, sem se preocupar muito com a saúde. “Esse era o meu único exercício e, para piorar, nunca abria mão do churrasquinho e da cerveja depois do jogo”, diz.
Há dois anos, quando teve os primeiros sintomas de pressão alta, como tontura e taquicardia, o corretor foi obrigado a incluir hábitos mais saudáveis na sua rotina. “Passei a caminhar e a correr duas vezes por semana, além de jogar futebol. Senti que meu condicionamento melhorou e me dei melhor durante as partidas”, lembra.

About these ads

2 Respostas

Assinar os comentários com RSS.

  1. Banco de Saúde said, on 8 de maio de 2009 at 04:17

    Parabens pelo post!

    Qual a fonte

    Abraço

    Equipe Banco de Saude

  2. adilson borges said, on 8 de maio de 2009 at 09:13

    A fonte está identificada: é reportagem de Luciana Sobral, do jornal Diário de S. Paulo, baseada em pesquisa realizada na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
    Abraço


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: